Uma esposa... Robô !



Aiko, a esposa do inventor canadense Le Trung, de 33 anos, não é uma mulher comum. Com certeza ela é bonita, e como toda esposa dedicada conhece os gostos do marido e realiza simples tarefas domésticas. Ela e Le jantam juntos, passeiam e gostam de conversar. A diferença é que Aiko não é humana: trata-se de um robô, criado pelo inventor de acordo com sua imagem da “mulher ideal”.

Aiko é capaz de reconhecer faces, reagir a toques, sentir (e evitar) dor e fala mais de 13 mil frases. Seu criador incluiu em sua programação alguns comportamentos que a tornam mais humana, como a capacidade de dar um "tapa" em qualquer engraçadinho que tentar agarrá-la.

Pela manhã, ela lê as principais notícias para o marido, e durante os passeios pode interagir com o sistema GPS do carro, dar instruções em voz alta e apontar o caminho. Seu software, batizado de B.R.A.I.N.S. (Biometric Robot Artificial Intelligence Neural System, ou “Sistema Neural de Inteligência Artifical Biométrica para Robôs”), tem a capacidade de aprender detalhes sobre o ambiente onde o robô está.

Le Trung gastou três meses, e o equivalente a US$ 25.000, para criar Aiko, que mede 1,51 m de altura e pesa 30 quilos. A pele é baseada em um tipo de silicone usado em bonecas eróticas japonesas, muito similar à textura da pele humana.

Apesar da origem, o inventor garante que sua relação com sua "esposa" não é sexual, embora reconheça que o software possa ser modificado para isto, incluindo até a “simulação de orgasmos”.

Aiko ainda está longe da perfeição. A voz é monotônica, a articulação da boca durante a fala é ruim, os movimentos são lentos e o “barulhinho de engrenagem” entrega o jogo. Mesmo assim, Trung está satisfeito com o resultado.

O cientista agora procura patrocinadores dispostos a bancar uma modificação: dar a Aiko a capacidade de andar, como um humano. Por enquanto, ela passa os dias sentada em uma “cadeira de rodas”

0 comentários: